Google+ Badge

quarta-feira, 20 de junho de 2012

NÓS, ESSES ATRAPALHADOS


Este vai ser um resumo traduzido de um livreto que fiz para um de meus netos. 

Resumo, porque blog há que ser curto, e traduzido, porque foi escrito em inglês.

Aliás isto de me traduzir a mim mesma está sendo uma das experiências mais estapafúrdias nesta minha já não tão normaloide vida. 

Mas vamos ao que interessa:

O que é mesmo essa coisa chamada de transtorno do deficit de atenção? 
(ADD ou ADHD em inglês e TDA e TDAH em português).

Para começar, este deve ser um dos distúrbios  mais pesquisados e, ao mesmo tempo, mais mal compreendido na história da humanidade.

Por definição, é uma sindrome caracterizada por desatenção, hiperatividade e impulsividade, com 3 sub tipos:

TDAD com predomínio de desatenção
TDAD com predominio de impulsividade
TDAD combinado.

O problema é que a definição não chega nem perto de descrever pessoas reais com problemas mais reais ainda. 

Assim, acho que o que se segue, chega mais perto.

Se uma criança vive

Esquecendo a mochila em tudo quanto é lugar

Irritada e rabugenta pela manhã

Tendo ataques quando algo inesperado acontece ou planos tem que ser mudados

Encrencada por cantarolar fora  de hora, puxar o rabo de cavalo da coleguinha da frente só pra  ver o que acontece, pular da carteira prá correr atrás do lapis que caiu no chão, fazer teste de quem cospe mais longe com ele/a mesmo e no meio da sala de aula, discute sem dó nem piedade com professores

Sem amigos ou pretencendo a grupetos marginais

Esquecendo por completo de fazer trabalhos de casa, ou modifica completamente o que lhe foi pedido para fazer ou decide que não quer fazer mesmo, não importando as consequências

Tendo notas baixas

Largando da mão da mãe e saindo correndo só de alegre

Saindo correndo na bicicleta sem olhar prá onde vai

Enfiando  o dedo na tomada ( essa funcionava na minha infância, agoras as crianças não podem mais faze-lo, mesmo que queiram)

Caindo de árvores, telhados, qualquer lugar que ache de subir…

Então, as probabilidades de ter TDAH são grandes. Muito grandes.

Se um adulto vive…

Sendo reprovado na faculdade

Fazendo  faculdade de 4 anos em 10

Mudando de faculdades como alguém mais muda de camisa

Se sentindo estúpido e inadequado

Sendo despedido de empregos

Pulando de um emprego a outro

Tendo empregos muito abaixo de suas capacidades

Sentindo-se frustrado a maior parte do tempo

Tendo problemas maritais continuos

Tendo contínuos problemas financeiros

Sendo solitário e sentindo-se socialmente inadequado 

Tendo múltiplos divórcios

Tendo vários acidentes

Envolvendo-se com drogas

Tendo surtos de violência com pouquissima provocação….

Então é quase certo e seguro…

E caso ache que isso se parece muito com o Se do Rudyard Kipling, está correto, e esta foi exatamente a minha intenção.

Mas, nem tudo são horrores.

Tomas Edson, o garoto propaganda  do TDAH, foi o inventor mais famoso do mundo, apesar ou por causa de sua inatenção, impulsividade e hiperatividade.

Teve que ser tirado da escola e sua mãe o ensinou em casa. 

Adorava explorar e fazer suas próprias experiências, embora fosse incapaz de decorar uma data.

Aos 6 anos, durante uma experiência mal sucedida, queimou totalmente o celeiro da casa onde morava.

 Aos 12, começou seu primeiro empreendimento, vendendo jornais no trem, mas também achou de montar um pequeno laboratório de quimica, no compartimento de bagagens, laboratório esse que também pegou fogo, e o garoto foi despedido.

Aliás, foi regularmente despedido de todos os empregos que teve.

Mas sabia observar. E como sabia.

No final de sua vida, tinha 1093 patentes  de seus inventos, que incluiram a lâmpada elétrica, o gerador de energia, o fonógrafo, o projector de cinema e filme de celulóide, a bateria alcalina e o microfone.

E é dele a frase com a qual encerro o capítulo desta semana, a respeito da lâmpada:

Nunca falhei. Achei foram 10.000 maneiras de como a lâmpada não funciona”.

0 comentários:

Postar um comentário