Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2012

NO QUE PRESTEI ATENÇÃO EM 2012

Imagem
E eis que chega o fim de 2012, e, pelo visto, a que escreve e os que lêem, sobrevivemos ao fim do mundo. De novo. Pensei, repensei, escrevi e deletei vários artigos, alguns decentes, outros raivosamente infames, e acabei sem idéias a respeito do último post do ano, até que, revendo minha agenda, lá vi resumidos os fatos de 2012. Aqueles nos quais, não só prestei atenção, como pensei a respeito, e então, tal qual todas as estações de TV de nosso universo conhecido, decidi por uma espécie de resenha.

Síria em tremendo estado de confusão, do início ao fim do ano. A União Européia promove embargo ao petróleo provindo do Irã, como forma de parar o enriquecimento de urânio que, eles dizem, estão fazendo. Um homem bomba suicida, numa moto, mata o mais importante cientista nuclear iraniano, Mostafa Ahmadi Roshan, em Teerã, e imediatamente o Irã culpa os EUA e Israel, os quais negam qualquer envolvimento na coisa (aqui, tive que rir, pensando como seria chocantemente engraçado, se o preside…

23 Ilusões que o Envelhecimento dissipou

Imagem
Tive que traduzir esse artigo, que fez tanto sentido no ano que me tornei sexagenária, como homenagem a meus amigos/amigas e a mim mesma, pelas batalhas vencidas, batalhas essas que foram muito mais internas do que as que fazem as manchetes de jornais, mas nem por isso, menos duras.

1- Minha mais recente sacada: Enfrentar e descontruir ilusões leva a um estado contínuo e sereno de iluminação. (Não sei bem se é iluminação, mas de paz, certamente o é)

2. Minha mais antiga ilusão: Sucesso garante imortalidade.

3. Que sessenta são os novos quarenta (o bobagem grossa!).

4. Que esses anos de pós-meia-idade representariam o pico da demanda e valorização do que sempre entendi como sendo minhas habilidades mais comercializáveis.(hehehehe...seria cômico se não fosse trágico).

5. Que fui melhor mãe para meus filhos do que minha mãe foi para mim. Na realidade, para enfrentar meus problemas com meu passado, exagerei tanto nas correções que quase destrui a capacidade deles de lidar com os própio…