Google+ Badge

domingo, 20 de maio de 2018

QUAL É A RELIGIÃO QUE TEM MAIOR EXPECTATIVA DE VIDA?

Artigo interessantissimo, que traduzi sem sequer comentar. Veja artigo original aqui
Artigo Original
Os americanos receberam notícias perturbadoras em dezembro de 2017: pelo segundo ano consecutivo, a expectativa de vida nacional caiu (Veja aqui), revertendo a tendência dos últimos 20 anos de aumento da longevidade. Alguns acreditam que isso se deve à crise dos opiaceos (Veja aqui), que atingiu mais de 64.000 vidas em 2016, estatística que continua a aumentar.

É claro que, enquanto o vício em opióides agora mata mais americanos do que o câncer de mama, outros fatores estão em jogo, muitos relacionados a outra epidemia: a obesidade. Doenças cardíacas, câncer, derrame cerebral e demência ainda são grandes causas de morte, enquanto as mortes por opióides caem sob a classificação de “lesões não intencionais”, a terceira principal causa de morte no país.

Embora haja inúmeras razões pelas quais morremos, faz sentido procurar correlações puramente físicas. A saúde psicológica e a saúde física não são domínios separados. Aquilo que acreditamos, afeta nossos processos corporais, como mostraram esses incríveis experimentos (Veja Aqui).

 O efeito placebo (Veja Aqui)é outro excelente exemplo disso.

Qual o papel da religião na saúde e na longevidade? Esta questão tem sido debatida há muito tempo, com os religiosos afirmando que sua fé os mantém saudáveis. Mas é este o caso? Os dados parecem mostrar o oposto.

Assim, entramos no argumento confuso e contencioso sobre economia e religião.

Os países mais pobres tendem a ser mais religiosos, talvez refletindo a ideia de que a redenção está lá na frente, já que o presente não é suficiente para sustentar a vida. Quanto mais economicamente desenvolvido é um país, menos religiosos são seus cidadãos.

Embora os americanos estejam morrendo mais cedo, a prosperidade econômica criou um grande contingente de ateus (Veja Aqui)

O argumento social para a religião, isto é, de que as pessoas religiosas são mais saudáveis devido à sua participação em uma comunidade, parece logico, mas a religião é realmente o fator-chave?

As comunidades Crossfit e Yoga oferecem benefícios similares com um incentivo adicional de atividade física.

A conexão social parece mais importante do que a crença em qualquer sistema.

O que pode ser o motivo pelo qual um estudo do Pew mostra os religiosamente não afiliados (ateus e agnósticos) com o segundo maior tempo de vida de qualquer grupo, terminando logo atrás dos judeus e um pouco à frente dos budistas. Curiosamente, todos esses 3 grupos tendem a confiar menos em idéias metafísicas e mais em comunidade e melhores práticas enquanto vivos.

Os três grupos de menor desempenho: cristãos, hindus e muçulmanos, desviam-se na direção oposta, confiando muito mais na vida após a morte e nas filosofias dualísticas, ou seja, crença em uma alma ou espírito que continua após a morte física (Veja aqui)

Esta é uma generalização não aplicável a todos os membros de cada grupo. Muitos hindus e muçulmanos são observadores casuais, que confiam em sua fé apenas para a identidade cultural.

Judeus e budistas observadores oram a divindades e meditam sobre a vida após a morte. Em uma escala maior, no entanto, os últimos grupos tendem a ser mais devocionais em natureza e prática do que aqueles com as maiores expectativas de vida.

Além da crença, a economia parece ser o principal impulsionador da expectativa de vida. Como Julia Belluz, da Vox, relata:

“Há um grupo nos EUA que está realmente se saindo melhor do que nunca: os ricos. Enquanto os americanos pobres e de classe média estão morrendo mais cedo hoje em dia, os mais ricos estão desfrutando de uma longevidade sem precedentes.”

Isso é uma notícia perturbadora para os fiéis, mas faz sentido. Se suas necessidades básicas de sobrevivência forem atendidas, a necessidade de fé diminui. A vida já está funcionando a seu favor.

Mais uma vez, uma generalização,pois milionários podem mostrar muita fé mas, quando se tem acesso aos melhores serviços de saúde, comida orgânica, tempo e dinheiro para a aptidão física, há menos chance de que o pavor existencial entre em ação.

Não é assim se você vive em uma região atormentada por malária, secas, AIDS, inundações e outras doenças e catástrofes ambientais.

O anseio por algo melhor faz parte de nossa composição psicológica. É mais provável que nos identifiquemos com um mundo glorioso quando este no qual estamos não está funcionando tão bem assim.

A religião segue a economia ou faz certas realidades econômicas se manifestarem em torno de determinadas ideologias religiosas?

O primeiro parece mais provável, embora isso seja especulação e além de tudo, controversa, dada a forma como a fé é coisa muito íntima para alguns e como as pessoas tendem a se tornar defensivas quando suas idéias são desafiadas.

 Apesar disso, permanece o fato de que ateus e agnósticos estão perto do topo da lista de longevidade, estragando a idéia de que longevidade está relacionada à fé.

Este tópico requer a implementação de um importante princípio moral: humildade. Ao lidar com religiões, cristãos, muçulmanos e hindus não podem estar certos, se seguirmos as diretrizes de cada fé. Isso sempre produz diálogos espinhosos, mesmo entre os religiosos mais tolerantes. Se você acredita sinceramente que Jesus é o único caminho para o céu, bem, quem não está a bordo é expulso. E essa mentalidade "nós contra eles" pode não ser saudável a longo prazo.

Isso significa que se concentrar no presente em vez de uma suposta vida após a morte contribui para melhores práticas enquanto vivo? Parece que sim, segundo os dados acima.. Você só pode se ajudar prestando atenção à sua saúde agora. Colocá-la num futuro percebido não contribui para uma vida frutífera hoje.

Meu único comentario: CARPE DIEM, versão encurtada da frase "Carpe diem quam minimum credula postero", que significa: aproveite o dia, confiando o mínimo possível no futuro. Comumente usada para justificar o comportamento espontâneo e tirar o máximo proveito de hoje, porque não se sabe se vai se estar vivo amanhã.
No entanto, não diz para ignorar o futuro, só para fazer o máximo possivel agora.

0 comentários:

Postar um comentário