Google+ Badge

segunda-feira, 14 de julho de 2014

PSICOLOGIA, RELIGIÃO E FUTEBOL

A copa acabou, vida como a conhecemos retorna, meio que de ressaca pela perda, todas as mandingas que não funcionaram, esquecidas.Mas há uma sobre a qual quero falar,que foi a contratação de uma psicologa para a seleção canarinho, pois a coisa me espantou enormemente, pelos seguintes motivos:
a)A contratação de uma profissional já no meio do evento, o que me faz pensar que continua se tratando psicologia/psiquiatria ou qualquer psi, mais ou menos na mesma linha que se pensa em religião: só em último caso, como a piada do ateu no momento que o piloto informa que o avião está tendo uma pane.
b)A aceitação do trabalho da profissional, sob essas circunstâncias, e finalmente, a pergunta que não quer calar:c)Quais eram as expectativas com essa atitude?

Começo confessando que, embora a minha área esteja totalmente ligada às ciências psicológicas, pouco, ou melhor, nada conheço dessa sub especialidade chamada de “psicologia do esporte”, embora, em sendo psicologia, deve seguir as linhas básicas da já citada, que são, por definição:O estudo científico da mente humana e suas funções, especialmente aquelas que afetam o comportamento, em determinado contexto.
a) As caracteristicas ou atitudes mentais de uma pessoa ou grupo
b) Os fatores emocionais ou mentais que governam ou determinam qualquer atividade ou situação.
c) Os fatores emocionais ou mentais que governam as relações interpessoais.
E, para os que continuam achando que psicologia é uma coisa tão imponderável como as paixões humanas ( que nem são tão imponderáveis assim, mas fica lindo descrevê-las desse modo), sinto informar que, como todas as outras ciências, tem objetivos que são:
DESCREVER- EXPLICAR-PREDIZER- MODIFICAR.

DESCREVER
Os jogadores da seleção parecem estar em pânico, jogando mal, chorando em campo, tendo atitudes histriônicas no geral.

EXPLICAR
Por que estão se comportando assim? Quais os fatores (de desenvolvimento, personalidade, comportamento social e doenças mentais) que contribuiram para isto?

PREDIZER
Predizer comportamento é uma das melhores maneiras de saber se realmente entendemos as causas nas quais se baseiam nossas ações. No caso em questão, a predição óbvia seria de que perderíamos de um time mais organizado, caso tal comportamento continua-se, coisa que sem dúvida, vimos todos.

MUDAR
Provávelmente, a meta mais difícil e importante de todo o processo, que é a de produzir mudanças, ou influenciar e /ou controlar o comportamento, para que haja melhora de longa duração, na vida das pessoas.

Ora, descrever, explicar e predizer, é, para o profissional competente, bastante simples e rápido. Já, mudar, é onde a porca torce o rabo, posto que é um processo que depende tanto do profissional, quanto do paciente ou grupo, e dos objetivos de ambos. E é demorado! Ninguém muda um hábito/comportamento/crença ou pensamento, numa semana ou num mês. Não acontece. Ponto. Não há milagres!

E é aqui que fico curiosa. Muito mais que meu costumeiro.E me pergunto:

1- O que será que fez uma profissional competente (pelo menos acho que deveria ser, posto que nunca ouvi falar, não conheço, mas como já disse acima, não conheço nada nem ninguém da área), aceitar tarefa fadada ao fracasso, por princípio?
2- Qual terá sido o objetivo da contratação? O que esperavam?
3- Por que continuar dando mau nome à área, quando a maior parte das equipes do mundo ( futebol, baseball, os times olimpicos, enfim, todo mundo), tem psicologo trabalhando direto junto com treinamento físico?
4- Será que a velha crença cultural, de que psicologo/psiquiatra é coisa só para doidos, continua tão ativa assim?

No caso da resposta para ítem 4 ser sim, sem dúvida nenhuma, que parece ser o caso, então gente, está na hora de sérias mudanças, e não só nas equipe técnica e de jogadores, mas em nossas mais básicas crenças e atitudes, sem o que, continuaremos a praticar atos de maquiagem de problemas, ao invés de resolvê-los.

E para os que acham que estou batalhando em causa própia, não, não sou psicologa.

0 comentários:

Postar um comentário