Google+ Badge

quinta-feira, 26 de abril de 2012

PORQUE PERMANECEMOS EM PÉSSIMOS RELACIONAMENTOS

WHY WE STAY IN BAD RELATIONSHIPS    




Quem não ficou, por mais tempo do que deveria, numa relação ruim ou daquelas que não dão em nada?
Todos nós fizemos isso, funcionamos contra nosso bom senso, quer admitamos ou não.

Muitos (homens e mulheres) permanecem em relacionamentos infames, mesmo quando seu descontentamento é tão enorme que preenche uma casa. Por que?

1-   FAMILIARIDADE

O conforto da disfuncionalidade versus O desconforto do que é desconhecido. 

Todos nós fazemos escolhas a respeito do quanto podemos tolerar e o quanto podemos ou não lidar com algo.

Algumas pessoas temem se meter num relacionamento pior ainda, e então se convencem que permanecer nesta situação é uma opção melhor do que ficar só ou entrar numa relação pior.

Usei essa racionalização lá pelos meus 20 anos, quando estava num relacionamento emocionalmente abusivo e não queria voltar pro Mercado dos solteiros, e também queria uma companhia que não fosse meu cachorro.

( De minha parte, embora gostasse demais do Vinícius, discordava profundamente daquela música dele que cantava: “É melhor se sofrer juntos do que ser feliz sozinho”. Nem morta.)

Assim, depois de me administrar um bom teste de realidade, percebi que um cão com problemas de beixiga, mas psicologicamente saudável, é preferível a um maluco, emocionalmente abusivo, todos os dias da semana.

2-   O INVESTIMENTO EM TEMPO E ENERGIA

Algumas vezes, as pessoas não largam uma relação que sabem deveriam terminar por causa de todo o tempo e energia que investiram na mesma.

É duro admitir que se gastou anos em algo que simplesmente acabou.

Fato é que, quanto mais se gruda numa coisa, mais difícil é largar.

3-   A  ARAPUCA QUE É SE ESFORÇAR MAIS

Claro, relacionamentos precisam ser trabalhados, mas não precisa ser uma luta continua.

Relacionamentos saudáveis são uma fonte de conforto, apoio e crescimento mútuos, que muitas vezes implicam num desafio para nos tornarmos melhores.

Todo e qualquer relacionamento têm acidentes de percurso, mas não tem que ser exatamente a rodovia da morte.

Se continuam tendo os mesmos problemas sem solução, as mesmas brigas, os mesmos ressentimentos e sentimentos feridos, já passaram um bom tempo em terapia de casal, e assim mesmo não chegaram a nenhum entendimento, está na hora de acabar com a coisa.

Se não puder resolver as questões que o levaram à terapia de casal, num período entre 6 e 18 meses, deveria reconsiderar sua escolha de permanecer na relação.

Vai que vocês não são compatíveis, ou cada um cresceu de formas diversas.

Ou então pode ser uma relação onde há abuso emocional, caso no qual a terapia de casal não funciona, porque o ente abusador vai usar o tratamento para culpar e controlar, ou simplesmente larga o mesmo quando confrontado/a com seu péssimo comportamento, e sai procurando por outro terapeuta como quem vai ao shopping, assim, olhando as vitrines.

Não confunda “trabalhar a relação” com entrincheirar-se no problema.

É melhor sair logo do que se atolar mais ainda.

4-   VERGONHA E FRACASSO 

É difícil admitir que um relacionamento tem que acabar.

 Muitos sentem isso como se tivessem falhado em algo e sentem vergonha da coisa.

A verdadeira falha e vergonha é gastar a vida em conflito, insatisfeito ou, pior ainda, sendo abusado.

Crescimento e mudanças ocorrem durante a vida.

Os parceiros que escolhemos, e que no momento que os escolhemos fez o maior sentido, seja porque ou éramos jovens demais e continuávamos a lidar com assuntos não resolvidos lá da infância, seja lá por qualquer outro motivo, param de fazer sentido quando, ou não evoluem, ou simplesmente não concordam com as alterações da vida.

NUNCA É TARDE DEMAIS PARA DEIXAR PRÁ TRÁS MISÉRIA E RESIGNAÇÃO, E ABRIR OS BRAÇOS PRA VIDA


0 comentários:

Postar um comentário