Google+ Badge

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Os 4 obstáculos que impedem mudanças positivas

http://www.huffingtonpost.com/dr-jim-taylor/make-change_b_1210645.html

Mudar é essencial para nosso crescimento e desenvolvimento como pessoas.

Sem mudança, você tem a certeza de ficar do jeito que é e fazer as coisas do jeito que sempre fez .


Para algumas pessoas, é bom, estão felizes e satisfeitos com suas vidas.


Mas, para muitos outros, o presente caminho não tem significado nem satisfação, e se sentem presos. Querem mudar, mas  não  sabem como .


A realidade é que mudar é difícil.  Quão difícil?


Bem, se considerarmos  a robustez da indústria de auto-ajuda e o fato de que ninguém ainda descobriu um caminho definitivo para mudar , a resposta é "extremamente difícil".


Adicione as baixas taxas de sucesso em tudo, desde resoluções de Ano Novo, parar de fumar, perder peso, melhorar a auto-estima, sentir-se menos ansioso, ter um melhor relacionamento, enfim seja o que for, e o resultado é uma imagem nada bonitinha.


( Velho Freud dizia que, a mudança  ocorre apenas quando, a dor do viver torna-se maior que a dor do mudar. Danado de brilhante).


Parte do problema é que a indústria da  auto-ajuda  distorceu nossa percepção de mudança, levando-nos  a acreditar que  mudança  é fácil, rápida e conseguida com pouco esforço.


É claro que, a ressalva desta afirmação é que a mudança só ocorrerá,  se você comprar os livros ou DVDs, assistir às palestras ou workshops, ou investir tempo, energia e, claro, dinheiro em qualquer "mezinha" que prometa ajudá-lo a mudar rapida e facilmente quando nada funcionou antes.


E, falando nisso, sempre que deparar com as palavras  "milagre", "magia", "fácil" ou ""rápido" , quando o assunto é mudança, verifique se você ainda tem a sua carteira!

Mas este artigo não é para  atacar  a indústria de auto-ajuda ( já fiz isso antes), mas sim a respeito do que é realmente necessário para produzir mudanças significativas e duradouras na  vida.


A  primeira vista, mudar não parece ser tão difícil.


Se há algo que não gosta em si mesmo, vai e mude isso, seja o que for.


Mas a realidade é que mudanças  profundas  são processos lentos, frustrantes, dolorosos, cheios de esforços ,lutas, derrotas e decepções.


Desde querer  se ver mais positivamente, ser melhor companheiro/a, lutar por objetivos profissionais ou lidar com o estresse de forma mais eficaz, a mudança é a coisa mais difícil e ao mesmo temp mais gratificante , que se possa fazer na vida.


Então, por que é tão difícil mudar?


Este artigo  vai  dar uma explicação, e é também o primeiro de três  que examinarão o porquê, o quê e o como de mudança positiva de vida.


O objetivo é modificar a tarefa  desde uma  missão quase impossível para uma que, se não uma certeza, pelo menos  está ao seu alcance. (Desculpe, não fazemos promessas bizarras )


Os Quatro Obstáculos à Mudança 


Um aspecto infeliz da vida é que muitas vezes criamos obstáculos, de forma quase sempre inconsciente,os quais  podem  servir a algum tipo de objetivo imediato, mas acabam sendo problemas  graves a longo prazo.


(Chamo isto de “princípio do cartão de crédito”, pois tal qual no caso do anteriormente citado, nem se percebe a enormidade do gasto pois  não há o ato fisico de contar o dinheiro em troca de algo, o que, usualmente refreia exageros. Com o cartão, a satisfação é imediata, e o abacaxi será descascado num futuro longuiquo, que costumeiramente chega depressa demais. Não deve ser coincidência que também estamos vivendo uma cultura narcisista, como bem descreveu Lash em seu livro “A Cultura do Narcisismo".Para excelente resenha deste livro em portugues, dirija-se a http://labirintosdoser.blogspot.com/2011/01/christopher-lasch-cultura-do-narcisismo.html)

 
Estas barreiras são, muitas vezes, impulsionada por algumas de nossas necessidades mais básicas, por exemplo, para se sentir competente, ser aceito, se sentir no controle.


Lamentavelmente, esses obstáculos tornam-se intratáveis e acabam impedindo as pessoas de mudar (ou até mesmo de tentar  mudar) quando deixam de ser um beneficio e se tornam um incômodo.


Bagagem

 
Todos nós trazemos coisas boas da infância para a vida adulta, e, em sendo humanos, junto vem coisas  não tão boas, o que chamamos de bagagem.


(A respeito disso, juro que  é verdade. Estou no processo de mudança, fisico, de IA para o TN, de formas que estou a encaixotar coisas faz mais ou menos uma semana. Pois bem, ontem encontrei umas roupas que nem me recordava que possuia, totalmente fora de qualquer moda possivel , positivamente horrendas, que não faço a mais remota idéia do como ou porque vieram parar aqui, desde que usualmente limpo meus armários pelo menos uma vez por ano e mando as coisas pro Exército da Salvação. Isso é que se chama de processo inconsciente. Por ouro lado, consciente e carinhosamente coloquei na mala meu ursinho de pelúcia que canta Moonstruck, a estatueta de Santo Antonio que ganhei de minha tia-avo e minhas meias de lã vermelhas que comprei na Italia quando tinha 15 anos de idade, pois não são bagagem, mas parte de minha personalidade. Ficou mais fácil de entender agora? Espero que sim.)

 
Os tipos mais freqüentes de bagagem incluem: baixa auto-estima, perfeccionismo, medo, necessidade de controle, raiva e necessidade de agradar.

 
Essa bagagem faz com que  pensemos, sentimos  e agimos com base em quem  éramos quando crianças e não como a pessoa muito diferente  que agora somos como adultos. 


A maior parte desta bagagem faz com que se reaja ao mundo de maneira improdutiva, sabotando  nossos esforços para uma mudança de vida positiva.

Hábitos 

 
Quando temos pensamentos, emoções e comportamentos motivados  por nossa bagagem com freqüência suficiente, eles acabam por se tornar  hábitos profundamente arraigados que ditam como se age  e reage ao mundo a nosso redor.


Estes hábitos são muito parecidos com os atletas que praticam com má técnica.


Esta técnica ruim torna-se  impregnado em sua "memória muscular" e acaba se mostrando na competição.


Da mesma forma, quando nossa  bagagem se torna entranhada como hábitos, produz respostas aparentemente reflexivas, mesmo quando elas não são nem saudáveis nem adaptativas.


O desafio é que, mais uma vez usando o exemplo dos atletas, uma vez que os hábitos estão enraizados é difícil re-treina-los.

(Acreditem nesta ex-fumante que  tentou tudo – menos Vanericline que me recusei- até que tive que usar mesmo terapia cognitiva mais cigarro eletronico, diminuindo a quantidade de nicotina a zero. Foram meses de trabalho sério, escrevendo tudo, sempre  que baixava vontade, o que estava fazendo, sentindo, com quem. Mais do que re-treinar foi um treinar novos comportamentos. Valeu.)

 
Emoções

 
Emoções negativas, como medo, raiva, tristeza, frustração, desesperança, podem  ser  poderosos impedimentos  para mudanças.


Por exemplo, muitas pessoas não mudam por medo do fracasso. Podem pensar: "E se eu não conseguir mudar? Vou provar a mim mesmo que sou um desastre maior do que sou agora, de formas que não vale a pena correr o risco."


Estas emoções negativas tornam-se barreiras à mudanças substanciais  por serem acionadas sempre que nos sintamos  incompetentes, desconfortáveis ou sem suporte.

E o único alívio é recuar de volta para a forma como se tem sido ou comportado por longo tempo.

Ambiente

 
Nós criamos ambientes que nos ajudam a gerenciar melhor  nossa bagagem, hábitos e emoções.


Nos cercamos  de pessoas que apoiam nossa maneira de ser  e nos fazem sentir confortáveis e seguros.


Nos envolvemos em atividades que tem a ver com nossos pontos fortes e que nos ajudam a mascarar ou atenuar os pontos fracos. 


Infelizmente, este ambiente reforça quem somos, mesmo quando não queremos ser quem somos,e pode fazer com que continuemos por um caminho conhecido mesmo que este interfira com nossa felicidade e a realização de nossos objetivos.


Este ambiente pode, na melhor das hipóteses,  não apoiar mudanças, e na pior, totalmente desencoraja-las.


Em todos os quatro casos, quando se permite que estes obstáculos controlem nossa vida, eles sabotam  qualquer  esforço para mudar de forma positiva.


Pior, nos sentimos  presos, frustrados e impotentes para mudar  nossa sorte na vida.


O próximo  artigo desta série sobre como criar mudanças significativas na vida,  será os "Os Cinco Blocos necessários na construção de uma mudança de vida positiva."


(E na próxima quarta –feira, se tudo correr como planejado, estarei postando de Chattanooga, TN. Isso me lembra uma citação do Deming, que é : “Ninguém precisa mudar.  A sobrevivência não é obrigatória”, o que me leva à Teoria da Evolução, a qual define que a sobrevivência de um individuo  ou de uma espécie depende da capacidade de adaptação ao meio desse mesmo individuo ou espécie, e que Evolução é só o sinônimo chique de Mudança. E que Darwin nunca falou na sobrevivência do mais forte, mas sim do mais capacitado a mudar. E que uma das vantagens de ter ADD  é poder jogar ping-pong com as idéias.)


0 comentários:

Postar um comentário