Google+ Badge

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

PRINCIPAIS DIFERENÇAS ENTRE REBT E OUTRAS ESCOLAS


COMO PROMETIDO, AQUI VAI   
 
1- Diminui a ênfase dada por outras escolas, aos problemas na infância.


Enquanto a REBT aceita o fato de que estados neuróticos são, algumas vezes apreendidos ou agravados pelo ensino precoce ou pelas crenças irracionais em alguma família ou mesmo na sociedade, mantém a premissa que, essas crenças irracionais aprendidas cedo na infância, não se sustém automaticamente e sozinhas, anos a fio. 
O que acontece é que essas crenças são ativa e criativamente reinstaladas pelos próprios indivíduos.


Na maioria das vezes, o terapeuta não gasta muito tempo inquirindo sobre os pais ou parentes, ou mesmo a família onde esse individuo cresceu, e mesmo assim, ajuda os pacientes a fazer importantes mudanças em seus padrões de vida disfuncionais 


O terapeuta demonstra que, não importa qual seja a filosofia irracional básica que comanda a vida deste paciente. nem quando ou como foi que ele aprendeu isso, ele está com problemas neste momento porque ele/ela continua acreditando nesta visão de si mesmo, assim como neste mundo autodestrutivo. 
Assim, se o paciente observar exatamente o que são esses pensamentos irracionais neste momento, e questionar e desafiar essas definições, usualmente a melhora será notável.
(Isso podemos ver se lembrarmos de nosso tempo de escola quando, ao não ir bem num teste, imediatamente pensávamos na causa ter sido não a obvia falta de estudo, mas porque não tinhamos usado a camisa azul ou o sapato vermelho, sei lá, qualquer idéia mágica que nos livre da culpa. Se repetirmos essa desculpa ou qualquer outra, para nós mesmos com fé suficiente, tornar-se há uma verdade inabalável.
É também o inicio de qualquer forma de pensamento racista ou na formação dos bodes expiatórios desse mundo)


2- A ênfase é dada às mudanças filosóficas e ao pensamento científico.


Por causa da crença de que os distúrbios neuróticos humanos são, em sua maioria baseados em ideologias e crenças, a REBT busca um reorientação na maneira como a pessoa vêm a vida, ao invés de simplesmente remover alguns de seus sintomas mentais e/ou psicossomáticos.


Ensina aos clientes que, por exemplo, adultos humanos não precisam ser aceitos ou amados todo o tempo, embora isso seja altamente desejável, mostrando como se sentir triste ou arrependido de forma saudável, quando são rejeitados ou  frustrados em algo. 
A idéia é ensinar como superar os sentimentos de intensa dor, auto depreciação e depressão.

Como em ciência, é mostrado ao cliente como questionar suas hipóteses a respeito de si mesmos, de outros e do mundo.
Se eles acreditam (como milhões de nós acreditamos), que somos inúteis ou sem valor só porque fizemos certas coisas definidas como "más", não lhes é apenas ensinado a perguntar: "O que é realmente mau a respeito de meus atos ou comportamento?" e "Onde está a evidência de que eles são maus ou sem ética?".

O que é mais importante é que lhes é mostrado como perguntar a si mesmo: "Admitindo-se que meus atos possam ser equivocados ou confusos, por que sou uma pessoa totalmente má por causa disso? Onde está a evidência de que devo sempre estar certo, a fim de que possa me considerar  uma pessoa digna? Supondo-se que é preferível agir bem, em vez de mal, por que eu tenho de fazer o que é preferível? "


A REBT ensina que ser humano implica em ser falível, e se queremos viver essa vida com um mínimo de chateação e desconforto, melhor aceitar essa realidade - e então, de forma o menos ansiosa possível, trabalhar para nos tornarmos um pouco menos falíveis. ( Gostaria de informar nesse ponto que, a REBT não é desculpa para comportamentos universalmente desprezíveis tais como matar, roubar,  mentir e enganar, e embora até mesmo esses comportamentos sejam, em algumas condições não só aceitos como necessários- na guerra mata-se e engana-se o inimigo o máximo possível, e mesmo que minha crença pessoal  é a de que guerras são a coisa mais estúpida possível, tenho a certeza de que, se nascida fosse durante a segunda guerra mundial e se algum nazi abestalhado quisesse mesmo forçar suas idéias em minha vida, teria sido totalmente capaz de matar ou enganar ou mentir ou qualquer outra coisa que considero desprezível em situações normais- o que a REBT prega é a atuação do pensamento científico. O que é o pensamento científico? É uma forma de pensamento/comportamento que usa muito poucos adjetivos e advérbios, e mais descrições. Por exemplo, em ciência, não se descreve um corpo como bonito, feio, desejável, horrível, mas sim como: sexo feminino, 1,68m de altura, peso tal, cabelos de cor tal, olhos de cor tal. Se alguém acha bonito, feio ou seja lá o que achar, é apenas isso, um achismo do achante e não da pessoa que é achada.)


3- O Uso de Tarefas psicológicas


A REBT concorda com a maioria dos Freudianos, Neofreudianos, Adlerianos e Junguianos que, adquirir conhecimento e introspeção (insight), principalmente o do tipo emocional a respeito das causas das neuroses é uma parte importante  no ensinamento corretivo das pessoas. 


Distingue-se nitidamente das outras citadas escolas de pensamento por definir "insight emocional"não apenas como entendimento e conhecimento, mas também na aplicação desse conhecimento de forma ativa, determinada e enérgica, para a solução desses problemas.


O terapeuta emotivo comportamental ajuda seus clientes a reconhecer que, usualmente não há outro jeito de melhorar a não ser pela contínua observação, questionamento e o desafiar nosso próprio sistema de crenças, e através de trabalho e práticas constantes, tanto verbais quanto comportamentais, como atividade de anti propaganda para alteração das crenças irracionais.
 

O praticante de REBT é capaz de dar aos clientes consideração positiva incondicional ao invés de condicional porque a filosofia REBT defende que nenhum ser humano deve ser condenados por qualquer coisa, não importa o quão execrável seus atos possam ser.

Por causa da aceitação incondicional e por serem ensinados ativamente como se aceitar plenamente, os clientes são capazes de expressar seus sentimentos de forma mais aberta e deixar de se avaliarem todo o tempo, mesmo quando reconhecem a ineficiência ou imoralidade de alguns de seus atos.


Embora a terapia de comportamento racional emotiva utilize métodos  expressivo experimentais e técnicas comportamentais, seu principal interesse não é somente ajudar as pessoas a ventilar as emoções e se sentir melhor, mas sim  mostrar-lhes como podem realmente ficar melhor e ter vidas mais felizes e realizadas e menos autodestrutivas.



(Como qualquer outra terapia ou escola de pensamento, basicamente volta ao velho "Conhece-te a ti mesmo" inscrito no templo de Delfos, retomado pela Bíblia e Freud. Basicamente, como o velho estoico já ensinava (e aqui falo de Freud), e a maioria de seus detratores desconhece, provavelmente pelo simples fato de jamais terem-se dado ao trabalho de estudar sua obra, psicanálise nunca justificou nada, como nenhuma terapia digna do nome o faz.
Explicar causas, não é justificar.
É saber de onde vem para ter a possibilidade de escolher para onde vai.
É também uma técnica de extrema importância para o terapeuta, saber com o que pode ou não trabalhar.
Pessoalmente, recuso-me a trabalhar com pedófilos desde que considero seus atos abomináveis e não seria nem honesto nem ético aceitar como pacientes pessoas as quais tenho vontade de bater com um gato morto ate o gato recomeçar a miar.
(Também não tenho qualquer intenção de modificar minhas crenças a respeito de pedófilos.)

0 comentários:

Postar um comentário